Blog

Conf. Avivamento & Milagres – Nordeste

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Não Desista no meio do caminho – Luciano subirá

Nossos problemas não nos impedem de sermos uma benção na vida de outros. Lendo 2 Reis capítulo 13, podemos perceber que ocorre alí um ato profético, Eliseu manda que Joás atire uma flecha e declara:“essa é a flecha da vitória”.

Ele não estava dizendo que aquela flecha, literalmente, resolveria o problema. Aquela era, na verdade, uma declaração sobre o reino espiritual, para que o rei tomasse posse de uma promessa. No momento em que Eliseu o orienta a atirar a flecha, ele também manda que o rei fira o chão, porém ele fez isso apenas por três vezes e parou. Joás entende que a ordem era uma continuação do ato profético e, no momento em que o rei para, Eliseu ficou muito indignado, pois ele deveria ter ferido o chão cinco ou seis vezes. A quantidade limitada de vezes que ele feriu, seria agora a quantidade de vitórias que ele teria.

Quem determina a quantidade de vitórias que teremos também somos nós, não é uma decisão unilateral de Deus.

No verso 25 deste capítulo, diz que Joás retomou as cidades e as tomou de volta. Venceu três vezes, exatamente o tanto que ele feriu o chão. Porém, não foi suficiente! Muitos de nós somos como o rei Joás, pensamos apenas em soluções temporárias e não permanentes. Não podemos nos conformar com o pouco!

Não adianta termos uma Palavra de Deus e não interagirmos corretamente com ela. Não é porque Deus falou algo, que se cumprirá automaticamente. Se você tem Palavra e promessa de Deus, faça sua parte! De alguma forma, Joás não entendeu sua responsabilidade e muitos de nós também temos nos conformado com algo menor do que aquilo que Deus realmente prometeu, limitando os planos dEle para nossas vidas.

Enquanto Joás jogava no time dos conformados, Eliseu agia de maneira oposta. Quando Elias está na caverna e diz a Deus “estou fora”, Deus aceita, mas manda ele cumprir o aviso prévio primeiro. É aí que Eliseu entra em cena, sendo ungido profeta no lugar de Elias e assumindo a posição que era dle.

No dia da partida, Eliseu acompanhou Elias em todos os lugares em que ele ia e, ao ser perguntado sobre o que desejava, Eliseu respondeu: “eu quero porção dobrada!”. Eliseu estava dizendo que não bastava substituir Elias, ele queria unir isso ao seu próprio chamado.

A Bíblia diz que quando eles vão até o Jordão, Elias pega a capa, fere o Jordão e o rio se abre. Ambos atravessaram o Jordão à pés enxutos e do outro lado, Eliseu viu o profeta Elias ser levado aos céus por um redemoinho. Nesse momento, a capa caiu sobre Eliseu e ele provavelmente pensou: “eu não vou voltar nadando”. Ele sabia que o nível de sobrenatural que já foi alcançado, não pode diminuir. Ao atravessar o rio, Eliseu gritou: “Onde está o Deus de Elias?”

Um ponto importante é que, quando Eliseu voltou, todos queriam procurar o corpo de Elias e chorar o luto. Esse é o problema de muitos crentes, não entender quando um ciclo se encerra e viver na saudade do que aconteceu no passado. Quando Eliseu gritou “onde está o Deus de Elias?”, ele estava dizendo que Elias foi embora, mas o Deus do sobrenatural ficou. Podemos chegar ao fim de um ciclo de mover, mas não podemos deixar de viver sem o Deus dos moveres.

Muitas pessoas ficam presas ao que já aconteceu, mesmo podendo viver coisas maiores. Pare de chorar por um mover que terminou, ajude a nova geração a viver uma glória maior do que a da primeira!

Em 2 Reis 4, lemos novamente o inconformismo de Eliseu. Uma viúva endividada o procura, esperando por uma intervenção divina. Eliseu perguntou o que ela tinha em casa e ela respondeu que possuía apenas um pouco de azeite, acreditando que aquilo era muito pouco. Mas, para Eliseu, era o suficiente para Deus fazer algo.

A instrução  foi para aquela mulher juntar vasilhas, pegar a que tinha um pouco de azeite e começar a derramar. Quando a primeira enchesse, ela deveria parar de derramar, colocá-la para trás e pegar outra. Parece uma orientação muito óbvia, desnecessária, porém não se tratava de uma instrução natural. Aquilo representava uma sucessão de milagres. Deus estava dizendo: pare de olhar o que Deus já fez e foque no próximo milagre.

Não se conforme com nada menos do que a plenitude daquilo que Deus designou para você! Será que, em nome da gratidão, você se contentou com algo muito pequeno e deixou de enxergar tudo que Deus ainda pretende fazer?

Nós temos a tendência de parar antes da hora, na terceira flechada, como fez Joás. Precisamos parar de limitar o poder de Deus! Não importa quem não está crendo, Deus ainda busca por uma geração de inconformados, que procuram viver os sinais e prodígios e têm sede de fazer mais.

Sejamos uma geração que não se contenta com o que viveu até aqui, porque sabe que existe mais para ser vivido!

*Trechos da mensagem do dia 02 de fevereiro durante a Conferência Avivamento e Milagres – Campina Grande PB

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email